top of page

No Dia Mundial do Café estudo comprova os inúmeros benefícios da bebida para saúde


Beber de duas a três xícaras de café por dia pode reduzir de 10% a 15% o risco de contrair doenças cardíacas além de melhorar a qualidade de vida e prevenir o envelhecimento




A segunda bebida mais consumida no mundo tem um lugar certo no coração do brasileiros! Segundo a Associação Brasileira da Indústria de Café – ABIC, o país é o segundo consumidor global de café. Só em 2021, foram consumidas 21,5 milhões de sacas de 60 kg e a região sul aparece na terceira colocação, com 17% de todo o consumo.


E quando falamos em coração, falamos com propriedade, porque esta fruta que há muito tempo foi condenada por uma parcela dos médicos, hoje é o queridinho do coração.


Segundo a medica cardiologista, professora da pós-graduação da disciplina de cardiologia esportiva da Uniguaçu, o café tem propriedades termogênicas, a cafeína presente no alimento ajuda a otimizar o treino, uma xícara de café antes da prática esportiva tem uma rápida absorção física e, por consequência, mantém o seu efeito termogênico no corpo.


“Eu costumo lembrar meus pacientes que o café, se possível não deve ser adoçado, se for, que seja utilizado adoçante de baixo valor calórico, se o objetivo é perder peso, o açúcar nunca deve ser utilizado”, afirma dra. Nicolle.


Mas afinal, quais os benefícios para o coração?


Boa Notícia para os amantes de café! De acordo com um estudo publicado em março deste ano pela American College of Cardiology, beber de duas a três xícaras de café por dia pode reduzir de 10% a 15% o risco de contrair doenças cardíacas, como insuficiência cardíaca e problemas de ritmo cardíaco.


“Como o café pode acelerar a frequência cardíaca, algumas pessoas temem que beber possa desencadear ou piorar certos problemas cardíacos. É daí que pode vir o conselho médico geral para parar de beber café. Mas nossos dados sugerem que a ingestão diária de café não deve ser desencorajada, mas sim incluída como parte de uma dieta saudável para pessoas com e sem doenças cardíacas”, disse Peter M. Kistler, MD, professor e chefe de pesquisa de arritmia do Alfred Hospital e Baker Heart Institute em Melbourne, Austrália, e autor sênior do estudo.


Dra. Nicolle ainda acrescenta, “De maneira geral, o estudo reafirmou o que eu já indicava para meus pacientes, quando me perguntavam no consultório a respeito da liberação da bebida, o café tem uma ação neutra no organismo, o que significa que não faz mal, pelo contrário, traz inúmeros benefícios”.


Os pesquisadores usaram um banco de dados prospectivo em larga escala com informações de saúde de mais de meio milhão de pessoas que foram acompanhadas por pelo menos 10 anos. Elesanalisaram níveis variados de consumo de café, variando de até uma xícara a mais de seis xícaras por dia e a relação com problemas de ritmo cardíaco (arritmias); doença cardiovascular, incluindo doença arterial coronariana, insuficiência cardíaca e acidente vascular cerebral; e mortes totais e relacionadas ao coração entre pessoas com e sem doença cardiovascular.


Para o primeiro estudo, os pesquisadores examinaram dados de 382.535 indivíduos sem doenças cardíacas conhecidas para ver se o consumo de café desempenhou um papel no desenvolvimento de doenças cardíacas ou derrames durante os 10 anos de acompanhamento. Em geral, tomar duas a três xícaras de café por dia foi associado ao maior benefício, traduzindo-se em um risco 10% a 15% menor de desenvolver doença

O segundo estudo incluiu 34.279 indivíduos que apresentavam alguma forma de doença cardiovascular no início do estudo. A ingestão de café em duas a três xícaras por dia foi associada a menores chances de morrer em comparação com não tomar café.



Em um terceiro estudo, os pesquisadores descobriram, mais uma vez, que duas a três xícaras por dia estão associadas ao menor risco de arritmias, bloqueios nas artérias do coração, derrame ou insuficiência cardíaca, independentemente de terem tomado café moído ou instantâneo. Taxas mais baixas de mortalidade foram observadas em todos os tipos de café.



Em todos os estudos o café descafeinado não teve efeitos favoráveis ​​contra a arritmia incidente, mas reduziu as doenças cardiovasculares, com exceção da insuficiência cardíaca.


Bem-estar e qualidade de vida



Vale lembrar que o café tem inúmeros compostos além da cafeína que beneficiam a saúde.


A medica nutróloga, especialista em Medinica da Qualidade de Vida pela Universidade de Sevilla, Dra. Valéria Goulart explica que os grãos de cafépossuem mais de 100 compostos em sua composição, “o café é um excelente anti-inflamatório, ele possui antioxidantes que vão atuar diretamente no envelhecimento das células, ou seja ele combate inclusive o envelhecimento”, a medica acrescenta que ele pode ser um aliado no combate ao diabetes, pois age com um controlador dos índices glicêmicos, aumenta o metabolismo, além de inibir absorção de gordura no intestino. “A bebida vai inclusive melhorar a atividade intelectual, o café tem a capacidade de estimular a concentração, além de ajudar a memória, reduzindo em grande número doenças como Alzheimer e depressão”, finaliza a doutora.


No dia mundial do café trazer tantos benefícios para saúde só reforça o que há muito tempo os produtores mundiais dessa bebida já sabiam, que o coração do brasileiro bate mais forte quando vê e sente o cheirinho de café!

14 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page