top of page

Luana Andrade: erro médico ou, risco que qualquer procedimento cirúrgico pode causar?

Em nota o Hospital São Luiz onde a influenciadora realizou o procedimento informou que a paciente veio a óbito após sofrer uma embolia pulmonar maçica


Foto divulgação: Reprodução/Instagram


A busca pelo corpo perfeito tem levado muitas mulheres a se submeterem a uma variedade de procedimentos estéticos. A pressão da sociedade e dos padrões de beleza inatingíveis muitas vezes leva a uma obsessão com a aparência física, resultando em cirurgias plásticas, dietas extremas e exercícios exaustivos. No entanto, é importante lembrar que a verdadeira beleza vai além do aspecto físico, e a saúde e o bem-estar devem ser priorizados acima de tudo. É fundamental promover uma mensagem de aceitação e autoestima, encorajando as mulheres a se sentirem bem consigo mesmas independentemente dos padrões impostos pela sociedade.


Atualmente as redes sociais vem mostrando por meio de publicações de influenciadores cirurgias plásticas como soluções mágicas para melhorar a aparência, enfatizando os resultados positivos e as transformações impressionantes. No entanto, é crucial reconhecer que cirurgias plásticas também apresentam riscos significativos que merecem destaque. Complicações cirúrgicas, infecções, cicatrizes indesejadas e reações adversas são exemplos de possíveis consequências negativas.


Nesta terça-feira (7) a influencer Luana Andrade, de 29 anos, ex-Power Couple Brasil, faleceu em São Paulo após passar por uma cirurgia de lipoaspiração.


Em nota o Hospital São Luiz onde a influenciadora realizou o procedimento informou que a paciente veio a óbito após sofrer uma embolia pulmonar maçica.



Mas, será que foi um erro médico ou, risco que qualquer procedimento cirúrgico pode causar?


De acordo com a advogada Mariana Nogueira, especialista em Direito Médico ao verificar a nota emitida pelo hospital onde a influenciadora realizou o procedimento o termo "falecer" utilizado no boletim médico é diferente de "erro médico".


Ela ainda ressalta que é bem recente falar em erro médico e, que segundo informações obtidas ao apurar o caso a paciente consentiu com a cirurgia, que foi feita de modo correto e adequado pelo anestesista e cirurgião plástico e a embolia pulmonar fazia parte de uns dos riscos causados pela cirurgia.


Foto divulgação: Reprodução/Instagram


"Triste demais vermos mais uma mulher maravilhosa com menos de 30 anos de idade, fazendo cirurgia plástica em busca do corpo perfeito", Mariana Nogueira, advogada especialista em Direito Médico.




344 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page