top of page

Especialista do Hospital IGESP explica a Síndrome de Burnout

Atualizado: 21 de jan. de 2022

Para fortalecer a luta em defesa da saúde mental

Flávia Bering Santin, psicóloga do Hospital IGESP, explica a Síndrome de Burnout. Conhecida também como a Síndrome do Esgotamento Profissional, ela é um distúrbio psíquico caracterizado por exaustão, estresse e esgotamento físico, provocados por condições de trabalho desgastantes ou desemprego. "O estresse, a falta de motivação, a pouca vontade de sair da cama ou de casa, quando acontecem com frequência, podem indicar o início da doença", explica.

Os sintomas presentes na Síndrome de Burnout são diversos e surgem de forma leve, levando as pessoas a acharem que é algo passageiro. Porém, pode piorar com o passar dos dias. Confira os principais sinais da síndrome: cansaço excessivo, físico e mental, dor de cabeça frequente, alterações no apetite, insônia, dificuldades de concentração, sentimentos de fracasso e insegurança, negatividade constante, sentimentos de derrota, desesperança e incompetência, alterações repentinas de humor, isolamento, fadiga, pressão alta, dores musculares, problemas gastrointestinais e alteração nos batimentos cardíacos.

Diagnóstico

Segundo a psicóloga, muitas pessoas demoram para buscar ajuda por não conhecerem a Síndrome de Burnout ou por não identificarem todos os sintomas, o que resulta em negligenciamento da situação. "Um profissional especializado em saúde mental é o responsável pelo diagnóstico da Síndrome de Burnout, sendo o psiquiatra e o psicólogo os mais indicados para identificarem os problemas e orientarem a melhor forma de tratamento", afirma.

Tratamento

O tratamento da Síndrome de Burnout é feito com psicoterapia, mas também pode envolver medicamentos como antidepressivos e/ou ansiolíticos. O efeito do tratamento pode acontecer entre um e três meses, porém depende de cada caso.

Prevenção

A melhor forma de prevenir o burnout é fazendo atividades que aliviam o estresse e promovem o relaxamento, equilibrando trabalho, lazer e vida social. Flávia cita algumas formas de aliviar a tensão:

● Defina pequenos objetivos na vida profissional e pessoal;

● Participe de iniciativas de lazer com amigos e familiares;

● Pratique ações que não estejam na rotina, como passear, comer em restaurante ou ir ao cinema;

● Converse com alguém de confiança sobre o que está sentindo;

● Faça atividades físicas regulares, como academia, caminhada, corrida, bicicleta, remo, natação, etc.;

● Evite consumo de bebidas alcoólicas, tabaco ou outras drogas, pois pioram a confusão mental;

● Descanse. Evite dormir poucas horas por noite.


30 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page